13 de setembro de 2010

Com a cabeça no travesseiro

Se eu soubesse voar, eu buscaria o inverno para me acolher. Se eu pudesse me esconder, eu escolheria uma casa sem janelas e uma cama desarrumada. E não me levantaria por dias.

Não me importo em sorrir agora. Se eu pudesse escolher, eu preferia estar em silêncio com o olhar perdido através do vidro do ônibus. Sem rumo certo, apenas desperto.

Se eu conseguisse dormir, eu sonharia comigo novo.

If God's taking bets
I pray He wants to lose...

9 comentários:

Antonio de Castro disse...

bastava dois anos atrás.

Estampado disse...

Rapaz, fiquei sem palavras de tão profundo você foi!

Autor disse...

Esses momentos nossos com nós mesmos são tão bons.
Eu ando tendo muitos momentos assim.
Será o peso da idade?

Lucas, não é pessoal, mas eu tô DOIDO pro fim da história do Léo!
:-P
www.confissoesaesmo.com

K. disse...

como cantava a cafona mylène farmer..

quant tout est gris
la peine est mon amie
un long suicide acide
je t'aimre melancolie

loveandglamour disse...

Er... Foi realmente muito profundo!

Theo disse...

Tô tentando achar palavras pra comentar, mas tá difícil...

Muito bom. Muito intenso... Muito foda! Parabéns!

Carlinha Said disse...

Engraçado que o que falaste caia perfeitamente com o momento que tô vivendo...Excelente texto!

Vanderson disse...

Oi?!
Tipo esse sou eu?!
Tô exatamente assim...
ai aiii
Texto muito bom, aliás os textos aki são sempre muito bons, já passei aki algumas poucas vezes, mas sempre gosto do q leio...
voltarei mais!
Abraçoooo!

Marinha disse...

Uau! Que texto lindo! Que intensidade consegues passar através das palavras!
Bom demais ter passado por aqui.
Bj,
www.construtoradepalavras.com.br

Related Posts with Thumbnails